review
Toda fama tem um começo e com a CLAMP não foi diferente, muito antes de obras consagradas como Guerreiras mágicas de Rayearth ou Chobits, o grupo estreou de modo oficial com a serie RG Veda.

A serie é baseada na religião hindu e foi lançada em 2012 no Brasil pela JBC, na mesma época de Freezing. Apesar de ser baseado em personagens do hinduísmo, é uma história original do CLAMP, então espere por aquilo que é comum as histórias do grupo

Spoilers in Blue:

Em uma rebelião no reino celestial a 300 anos, Taishakuten se torna o novo imperador celestial governando com mão de ferro, tudo com o objetivo de impedir que uma profecia se cumpra, onde “seis estrelas” se unirão para mata-lo e destruir o reino celestial, sendo uma das estrelas o ultimo “filho” dos Ashuras, uma das divindades principais.


Porém Yasha, uma das mais fortes divindades guerreiras e lider do Clã Yasha encontra o ainda bebê Ashura, que estava selado a 300 anos e com isso acaba por decidir lutar contra Taishakuten pois este quer matar a “criança amaldiçoada” que acaba trazendo morte aos que o cercam. Ashura e Yasha fazem parte das seis estrelas e ele decide partir em busca das demais estrelas para derrotar o impiedoso imperador.

Com esse resumo é de se imaginar que a obra seja fantástica por contem elementos que agradariam a leitores de historias épicas e fantasiosas e que agradariam em cheio a leitores de shonen. Mas a verdade é que a obra tem mais chances de agradar mesmo a leitores fanáticos do CLAMP, o que não significa que RG Veda seja para todos.

Primeiro porque apesar de ter aventura e fantasia, RG Veda não tem a estrutura de um shonen, algo que Guerreiras magicas até possuem em comparação. RG Veda esta mais para um “shoujo com batalhas”. Mesmo que Guerreiras Magicas também caiam nessa categoria, RG Veda é bem mais característico da demografia, mas puxando para o lado mais “negativo” dela. Comparando a Shonens, quem já teve a oportunidade de ler o manga Bastard!! pode contastar que ambos se assemelham e se diferem, ambos tem temas fantasiosos e traços oitentistas, mas Bastard!! é mais violento e possuem batalhas e leitura mais de acordo com o estilo Shonen / Seinen, enquanto em RG Veda a leitura é mais carregada e lenta.

Mesmo que alguns questionem o fato de mangas seinen como Death Note ser carregado também, a diferença básica que é uma característica comum nos shoujos e nem tão comum em shonens e seinens carregados é o sentimentalismo, essa característica pesa muito em RG Veda e é muito comum em obras do CLAMP, com poucas exceções como em Angelic Layer. Mas o sentimentalismo mais aparente em RG Veda não é romance como a maioria dos shoujos e sim drama, um enorme e carregado drama aliado aos nomes de vários personagens baseados no hinduismo que o fará achar que seria melhor se os personagens tivessem nomes japoneses.

O traço é obviamente CLAMP e mesmo sendo a primeira obra oficial do grupo, já mostrava naquele tempo (1989) que as agora velhinhas vieram pra ficar. O traço no geral é muito rebuscado e pomposo, mas as cenas de batalha são complicadas de entender na maior parte, pois há muitos elementos que não fazem muito seintido.

Quem já conhece o CLAMP já sabe que o grupo tem o seu estilo de contar historias e possui alguns “vícios polêmicos” na concepção de seus personagens. Ashura por exemplo é um deles. O personagem é assexuado, seja em sua versão criança ou adulta é referido como “ele”, mas age e se parece com “ela” e a relação dele(a) com Yasha no inicio parecia pai e filha, mas no final ficou insinuadamente ser outra coisa. E existem outros personagens com insinuações que antes parecem duvidosas mas que ficam claras no final e alguns absurdamente inesperados.

RG Veda consegue ter sua história fechada de modo a fazer sentido, mas não significando que você vá gostar do final, a não ser que você seja vidrado em dramas, pois pra mim a vontade de jogar os volumes 9 e 10 na parede foi forte. Por mais que exista a mensagem de que é possível alterar o destino com as próprias mãos, as razões de Taisakuten e o destino de vários personagens me fizeram desgostar demais da serie que eu já não estava curtindo pela lerdeza. Mesmo mangas efetivamente dramáticos como Red Garden tiveram um “final feliz” mesmo com perguntas não respondidas. RG Veda respondeu todas, mas pessoalmente me desagradou. É diferente de Terra Formars, onde personagens legais morrem e continuamos gostando da serie (claro, com exceções), porque quando começamos a gostar, eles morrem e logo surge outro, além de sempre ter combates frenéticos. Mas coverse a morte de personagens de modo injusto em Terra Formars lhe incomoda, RG Veda vai lhe deixar mais infurecido. Não tenha expectativas por um bom final.

RG Veda acabou sendo a primeira obra da CLAMP que me desagradou profundamente. Acabou sendo uma serie pior que Puella Magi Oriko Magica, a serie que eu mais desgostava de minha coleção, mas justamente uma obra do CLAMP conseguiu tira-lá de seu posto, mesmo com detalhes técnicos superiores. Lembrando, essa é minha opinião pessoal. Se você gosta de dramas e tragédias e é fanático por CLAMP, lhe desejo boa sorte.