Eu estou com um vicio: Não resisto a um mangá com uma arte soberba, mesmo com uma história ruim ou confusa. Um dos casos que penso assim é de Air Gear, com uma arte de encher os olhos mas uma historia meio complicada de seguir as vezes. Mas não no caso de Vinland Saga.

Criado por Makoto Yukimura (o mesmo do vindouro Planetes, também pela Panini), Vinland Saga de inicio me chamou a atenção pelos traços, já que eu estava (e ainda estou) vidrado em traços como os de Vagabond e foi um dos que investiguei junto a outros como Gigantomachia que tivessem traços de cair o queixo.

Mas assim que procurei saber mais de Vinland Saga, percebi que o visual realista é algo que  não é desde o principio da série e que irá ocorrer conforme passam os volumes. Neste review que compreende os volumes 1 e 2, o visual ainda não é realista e parece mais visualmente Shonen do que Seinen, (Ok, demografias não são medidas por traços, já que tem muitos seinens com traços fracos e shonens com traços caprichados – como Air Gear – mas normalmente shonens e seinens tem caracteristicas visuais meio que padronizadas onde Seinen tende a ser mais realista). Mas não espere algo fraco pois os cenários e detalhes das vestimentas e objetos são hachurados, até animais são. A razão de que o visual de Vinland Saga ainda não é totalmente realista é que os capítulos eram semanais e quando passou a ser mensais, a qualidade subiu mais ainda, mas mesmo assim o visual já era bem impressionante para capítulos semanais com o nível de qualidade já apresentado.

SPOILERS:

A historia de Vinland Saga abrange o universo dos Vikings, com foco em Thorfinn, um jovem rapaz que tem como objetivo vingar a morte de seu pai – Thors -, assassinado pelo grupo de Vikings liderados por Askeladd. Por ironia do destino, Thorfinn foi criado pelos Vikings e se tornou uma peça fundamental para que esse grupo de mercenários tivessem sucesso nas missões que participava. Askeladd jurou ter um duelo com Thorfinn se o mesmo conseguisse a cabeca de um general em uma das missões, o que conseguiu, mas o jovem não conseguiu vencer a disputa e continuou a viver com o grupo, sofrendo com o desejo de vingança. Isto resume parte do volume 01.

No volume 2 (e parte do volume 01), temos a historia da infância de Thorfinn, sendo seu pai Thors o maior destaque. Vemos como seu pai era uma pessoa nobre de coração e que se importava com o proximo, mesmo sofrendo algum tipo de prejuízo. Porém ele esconde um passado que o perseguirá e Thorfinn descobrirá isso e se envolverá escondido a principio de seu pai e verá o quão grande guerreiro foi seu pai e o triste fim que ele teve, mesmo morrendo com honra perante o grupo de Askeladd, sendo esse o estopim para que Thorfinn assuma sua personalidade assassina, mesmo sendo tão jovem, porém ainda não é mostrado no volume 2 como o grupo “adota” Thorfinn, mas é previsível.

00Voltando aos traços, é notório que as cenas de combate são acima da media, tanto em combates corpo a corpo quanto batalhas com muitos soldados. Já no primeiro volume somos apresentados a cenas de batalhas detalhadissimas e com muita violência, sem nenhuma censura a cabeças ou membros decepados.

Vinland Saga conseguiu me conquistar pela historia mesmo sem ainda apresentar os traços “arrasa quarteirões” que possuirá em futuros volumes. É um dos grandes mangás que merece ser reconhecido pelo publico.