Normalmente um anime é feito baseado em um mangá e sempre conta com algumas mudanças. Agora um mangá feito de um anime ocorrem em menor escala e um desses casos ocorreu com a serie Gurren Lagann, lançado no Brasil pela Nova Sampa.

Semelhantemente a Red Garden ou Madoka Magica, Gurren Lagann (GL) foi criado praticamente simultaneamente ao anime e como até o momento não o assisti, não posso destacar as diferenças entre as duas mídias. GL conta a história de Simon, um calmo e inocente garoto especialista em perfuração que sempre acaba arrastado em confusões com Kamina, um jovem enquencreiro que almeja assim como seu pai, conhecer e explorar a superfície, já que humanos moram em vilas subterrâneas. Após Simon encontrar uma misteriosa furadeira miniatura e algumas confusões de Kamina, a jovem Yoko aparece perseguindo um Ganmen, um robô gigante, sendo na maioria dos casos controlados pelos homens-fera, mas graças a um Ganmen miniatura encontrado por Simon, eles foram capazes de derrotar o Ganmen inimigo e começaram juntos a explorar a superfície e ao passar por novos desafios e conhecendo novas vilas e cada vez mais conhecendo novos aliados e novos inimigos.

Analisado pelos volumes 1 e 2, GL apresenta muita aventura e varias situações nonsense. Não tão nonsense quanto Ageha, mas é notório o grande número de situações cômicas, mesmo quando usam o Gurren Lagann ( O nome dado ao Ganmen encontrado por eles). Quem leu Queen’s Blade, vai notar que o nível cômico é bem semelhante, mesmo com temas tão diferentes e no caso de GL, o ecchi existe, mas em menor escala do que comparado a Queen’s Blade.

Os traços acompanham o estilo cômico de GL e lembram um pouco de Queen’s Blade também, mas os quadros de ação infelizmente as vezes são meio complexos. Nem sempre dá pra entender as cenas de batalha dos robôs, o que é uma pena.

Falando fisicamente, a qualidade da tradução de GL está ótima, mas o papel do miolo é bem ruim, papel jornal de péssima qualidade. O que conforta é saber que o papel é melhor da edição 5 em diante.

Gurren LagannMesmo com alguns defeitos, Gurren Lagann me surpreendeu com uma história bem aventureira e divertida e que até o robô gigante, mesmo quando em miniatura, acaba sendo um ponto cômico com suas improváveis caras e bocas.