Não há como negar que a explosão do anime no Brasil começou na saudosa Tv Manchete. Clássicos como Cavaleiros do Zodiaco e Sailor Moon angariaram um grande número de fãs que dura até hoje e outro dentre esses animes que ajudou a abrir caminho para a animação japonesa no pais e também para os mangas é o excelente Yu yu Hakusho.

Yu Yu Hakusho
Depois de alguns anos após o lançamento da serie pela JBC em formato meio-tanko, o mangá retornou em formato tanko recentemente, dando oportunidade dos leitores mais jovens conhecer essa serie que é uma das grandes obras em mangá estilho Shonen que marcou gerações.

A história tem como foco inicial a vida de morto(!?) de Yusuke Urameshi, um adolescente bad boy que acaba sendo morto acidentalmente ao salvar um garotinho de ser atropelado. Ao conhecer Botan, a guia espiritual (ou Shinigami / deusa da morte) que leva os mortos ao mundo espiritual de onde seria levado o defunto para o céu ou inferno, Yusuke descobre que o garotinho na verdade não morreria no acidente e que no final a sua morte foi em vão. Mas que existe um meio de ressuscitar, porém nesse meio tempo, Yusuke deverá ser um detetive espiritual onde resolverá casos sobrenaturais de modo que seres vivos não poderiam resolver devido a poucos terem sensibilidade espiritual para enxergar fantasmas e monstros.
Yu Yu Hakusho

Nos dois primeiros volumes (que são os avaliados nesse review), vemos essa trajetória de Yusuke tentando ressuscitar e resolvendo casos. Quem assistiu ao anime percebe que até a ressurreição de Yusuke, no mangá aparecem mais casos a serem resolvidos e em comparação a história inteira da serie, esses casos tem mais cara de filler, o que não é o caso, pelo contrario, pois elas dão muito mais sentido ao fato de Yusuke ser considerado um detetive no manga do que no anime e são uma das provações que Yusuke precisou passar para ressuscitar. Mas se engana quem pensa em tramas complexas nesses contos ignorados no anime ou que Yusuke seja como um detetive comum. São casos de maneira geral simples e que na maioria das vezes Yusuke resolve no braço e em algumas vezes mostrando o seu lado positivo que poucas pessoas viam nele quando vivo, mostrando ao leitor uma personalidade bem interessante em comparação a outros protagonistas de mangá. Além desses casos extras, vemos como ocorre a interação mesmo morto com seu rival e amigo enrustido Kuwabara que juntamente com sua amiga de infância Keiko de alguma maneira auxiliaram na ressurreição de Yusuke. Nestes volumes, o mangá esta mais para comedia do que para um battle shonen, mas nos volumes seguintes as batalhas ficarão mais intensas e os inimigos muito mais sinistros.

Yu Yu HakushoO traço de Yuyu Hakusho é de estilo antigo, bem fora dos padrões atuais e embora eu goste muito de traços antigos e que eles casam muito bem com comedia e funcionam bem com as batalhas, quem conhece o mangaká Yoshihiro Togashi, sabe como ele tem potencial para fazer muito melhor e muito pior de acordo com sua preguiça. Nestes dois volumes o traço segue equilibrado, mas nos próximos, a montanha russa visual é notória, compensada apenas pela qualidade da história.

Yu Yu Hakusho é uma das obras clássicas dos mangás de ação que nenhum colecionador deveria deixar de ter. E poder conferir a obra em papel off-set é melhor ainda.