Se alguém se considera um gamer e nunca ouviu falar de Street Fighter, volte para sua caverna, pois mesmo jogadores mais novos ao menos já viram uma das series de games de luta mais clássicas existentes e que ainda é relevante nos dias de hoje, mesmo quando sua criadora – Capcom – aprontando com seus jogos em favor de dinheiro. Para uma serie tão famosa, é de se imaginar que ela possuiria brinquedos, animes, filmes (polêmicos), desenhos americanos (toscos), Animes (fantásticos), Comics (polêmicos) e mangás.

No Brasil, tivemos duas series de mangas lançadas pela NewPop, Street Fighter Alpha e Street Fighter: Sakura Gambaru!, sendo a ultima uma seqüência direta da Alpha. Pela lógica deveríamos trazer a analise da versão Alpha primeiro, mas ficará para uma próxima e focaremos em Gambaru.

Street Fighter Sakura Gambaru

Apesar de Gambaru ser uma seqüência direta de Alpha, não é exatamente necessário ler Alpha para entender Gambaru. Não há flashbacks nem nada que acrescente ao que já foi contado naqueles mangas (que foram dois volumes, assim como Gambaru são dois, mas até o momento, só a primeira edição foi lançada ainda). Como o título sugere, o foco da história é em Sakura, uma adolescente de 15 anos que quer se tornar uma grande lutadora de rua e que foi imensamente influenciada por “aquela pessoa” (spoiler: Ryu…). Ela treina com o infame lutador Dan Ribiki, mas não o considera seu mestre, apesar dele a considerar uma discípula e o tempo todo percebe o enorme potencial de lutadora que ela possui por aprender muito rapido. Ela é notada por Karin Kanzuki que é a única herdeira do clã Kanzuki, donos de uma multinacional milionária. Karin, que é fascinada por lutas reconhece que Sakura é uma adversaria digna, mesmo sendo uma “plebéia” e a seu modo, organizou dois eventos onde o objetivo principal é: Derrotar Sakura. E Sakura aos poucos vai aprendendo o que é ser uma lutadora e conforme as batalhas vão ocorrendo, vai adquirindo os seus famosos golpes.

Street Fighter Sakura Gambaru

Diferente do mangá Alpha, Gambaru tem forte apelo cômico, provido tanto pelas aparições e fanfarronices de Dan, quanto pelas inéditas nonsense da ricaça Karin e aparições de outros personagens de Street Fighter e Final Fight (há muita referência a está ultima). Apesar de não ser tão serio como Alpha, Gambaru tem muito mais aspectos de briga de rua, já que lutador de rua é a tradução de Street Fighter e a versão Alpha do mangá praticamente não tem esse aspecto.

Street Fighter Sakura GambaruCom traços que serão considerados “datados” por alguns, os mesmos encaixam muito bem com a história. Mas não se engane com a arte da capa, são estilos bem diferentes. As cenas das lutas são muito bem feitas e de grande qualidade. Só não estranhe ter a impressão de que alguns personagens secundários lembrarem Azumanga Daioh. Além de em Gambaru serem mais detalhados, são mangas feitos por artistas diferentes. Em relação a tradução feita pela NewPop, só detectei um erro de português, de resto estava tudo ok.

Enfim, Street Fighter: Sakura Gambaru! é um mangá divertido e mesmo que você não seja ligado em games, mas gosta de historias com lutas e diversão, não deve deixar de conferir.