Como primeiro review de 2015, vamos falar de uma HQ crossover não imaginada por muitos e com super heróis bem conhecidos.
Os mais jovens com certeza conhecem o Superman, Batman, Mulher-maravilha e outros personagens do universo DC, que no Brasil, apesar de a muito tempo terem suas HQs vendidas no pais, ganharam grande popularidade com o antigo desenho dos Super Amigos, versão criada pela saudosa Hanna-Barbera que apesar de dividir opiniões, teve um grande impacto na geração dos anos 80/90 em nossas terras. No mesmo período, outra serie que teve grande fama foi He-Man e os Mestres do Uiverso, com personagens em um mundo mais épico, mas com tramas não muito diferentes da dos super amigos. Enquanto os heróis da DC continuaram até hoje na mídia, He-Man não teve a mesma sorte em se manter e foi esquecida pela industria, sempre ensaiando sua volta, mas não dando muito certo.

Bem, He-Man voltou a algum tempo aos quadrinhos americanos e ao contrario do que aconteceu ao Universo DC, não sofreu um reboot (reinicio da história) para se modernizar e sim continuou de onde supostamente parou e nisso ocorreu “modernizações”. A ponto de ocorrer um crossover com a DC que podemos conferir em Universo DC Vs.He-Man e os Mestres do Universo. Um crossover que já ocorreu no passado entre Superman vs. He-Man.

UDC vs He-man

Quem acompanha a DC sabe do reboot no universo DC e que atualmente temos os “novos 52“, onde as historias ficaram ao mesmo tempo mais “dark” e mais politicamente correto, o que dividiu opiniões devido a mudanças bruscas nas personalidades e visuais de vários personagens, ficando bem longe do que ocorria nas historias do super amigos. Essas mudanças também ocorreram com He-Man e sua turma. O visual de He-Man ficou irreconhecível e se por um lado ficou menos “suspeito” comparado ao antigo, por outro ficou menos “selvagem” ou menos “clone de Connan“. Ficou bom, mas quem não gosta de mudanças pode reclamar e é até compreensivel. Esqueleto, o eterno vilão de Eternia (reino onde He-Man vive) ficou visualmente bem mais maligno e combina muito bem com o estilo dark que a serie está. Teela, pra quem conhecia a moça da época do desenho, tenta imaginar o que aconteceu com ela e isso não é explicado na trama, mas ela se tornou extremamente antipática, enquanto a Mulher maravilha pela DC se tornou mais forte, mas ainda assim tem seu charme feminino, Teela ficou irritante, ignorante e que se ela não estiver de TPM nessa saga, sai de baixo He-Man. O gato guerreiro esta visualmente idêntico, só que não fala!! Mentor é o único da serie que esta parecido com a versão que conhecemos no geral, só um pouco mais bombado! hehe!

A história trata da invasão de esqueleto a terra, para roubar a magia do planeta e usar para sí para derrotar o reino de Eternia e Hodak, que pasmem dominou Eternia. Enquanto a rainha de Eternia esta banida de Eternia graças a uma maldição de esqueleto, a mesma (que pela leitura no geral, da a entender que pertencia ao mesmo universo da DC, por conhecer os heróis desde sempre), busca a ajuda de Constantine, que é o maior mago na terra e curiosamente é mito em Eternia, reconhecido e “temido” por esqueleto, para que os ajudem a impedir que o bruxo ossudo roube a magia da terra e acabe matando o planeta.
UDC vs He-man

Esqueleto faz a “lição de casa” e invade facilmente o QG da Liga da Justiça, subjugando todos os heróis, menos Batman que foge para a batcaverna e encontra Constantine lá e em meio a discussões e explicações, a liga aparece e nesse meio tempo, He-Man, Teela e Maligna (que estava aprisionada por esqueleto e foi liberta em troca da localização do mesmo), aparecem em frente a uma liga da justiça fora de sí, forçando principalmente a batalha mais imaginável possível, de Superman versus He-Man. O inesperado é o resultado desse confronto e também quem é o maior responsável por esse problema todo. Nos momentos finais, ocorrem certas explicações para com os personagens dos Mestres do Universo que mesmo para quem não acompanha as HQs de He-Man, compreende que não houve reboot de seu universo, mas sim uma continuação, explicando tanto o porque do visual do esqueleto, quanto ao principal vilão da história, além de coisas que nunca foram claras sobre certa ligação do Esqueleto e He-Man desde a série clássica..

UDC vs He-manQuanto a arte a questão é: As cores são ótimas, mas os desenhos são de vários artistas de acordo com o capítulo e isso é um problema crônico nas HQs americanas. Horas os traços são bons, horas horríveis, sendo o melhor mesmo o da capa.

UDC vs He-manMesmo com tantas diferenças de suas versões clássicas, Universo DC vs. He-Man e os mestres do universo é uma opção interessante para fãs dos dois universos e para leitores casuais que não pensam em colecionar HQs devido a suas historias infinitas, apesar desta história abrir brecha para um possível novo confronto no futuro. A leitura pode parecer truncada de inicio e o final parecer corrido, além dos confrontos não parecerem grande coisa, mas o foco esta mais na história do que nas brigas, o que pode ser um ponto a favor para alguns. E para os saudosistas, essa edição conta com o primeiro embate dos universos em Superman And The Masters of Universe, com o mesmo clima e estilo visual de suas versões originais. E apesar de ser mais “bobo” para os padrões atuais, achei bem mais divertido, mesmo com um numero muito reduzido de páginas em comparação ao novo embate. Pena que esse embate não se tornou canônico para não contradizer com a recente versão da historia.