“Apenas as mulheres mais fortes são dignas de ocuparem o trono real”. Uma frase assim dá a entender que a força se dá para ter condições de liderar uma nação com garra e confiança de seu povo. Mas se você acompanhar o mangá Queen’s Blade: Exiled Warrior, verá que a força necessária é na base da pancadaria.

Queen's Blade Exile Warrior

É impressão minha, ou esse cavalo está fazendo “aquela carinha ( ͡° ͜ʖ ͡°)”?

Num dos mais recentes lançamentos da Nova Sampa, acompanhamos Leina, uma linda e jovem princesa que após se encontrar com a ladra Risty, acaba por descobrir que a realidade do reino não é exatamente aquilo que a realeza lhe contava e assim decide conhecer o mundo. Nesse meio tempo, encontra novas amigas e inimigas que acabam gerando grandes confusões e cada vez mais Leina descobre sua capacidade de lutar. Meio a tudo isso, ficou sabendo do torneio da “lamina da rainha” e Leina não sabe se participará ou não, mas muitas intrigas da própria realeza e “monstros” surgem em seu caminho.

É notório que neste primeiro volume de Queen’s Blade que o humor rola solto. A história é simples e agradável, não deixando o leitor com qualquer dificuldade para entender o que está ocorrendo. Pela história em si, a leitura é rápida, o motivo que pode lhe fazer ler mais devagar são outros. ( ͡° ͜ʖ ͡°)

Queen's Blade Exiled Warrior

Melona, a “monstra” de Queen’s Blade

Para quem não sabe, Queen’s Blade é um título ecchi. Varias beldades entram em cena o tempo todo e mesmo a “mostro” da história – Melona – é uma garota. E a aparição de homens é mínima.

Apesar de ser ecchi, Queen’s Blade possui história de modo que o fanservice não é usado como tapa buraco como ocorre na maioria dos títulos do estilo. Todo enquadramento das cenas, por mais fanservice que sejam, tem a sua razão de estar lá.

Sobre a versão nacional, podemos destacar que a tradução esta bem feita e não notei nenhum erro de português aparente, mas percebi um “chavão” utilizado em uma parte do texto que apesar de ser atual, poderá não fazer sentido em alguns anos para leitores mais novos e não vai adiantar culpar as estrelas se reclamações dos mais xiitas surgirem. Outros destaques são a qualidade do papel que está bem acima do utilizado na maioria dos mangás da Nova Sampa e capas internas coloridas. O único defeito físico que localizei foi a colagem da primeira pagina que teve parte de seu texto cortado. Pode ser algo pontual ou não. Dá pra entender o que está escrito, mas não é algo que colecionador ou até leitor casual gosta de lidar.

Queen's Blade Exiled WarriorO volume 1 de Queen’s Blade conseguiu ser uma ótima alternativa para quem procura humor com história (ou será que é o contrário?) e belas garotas. Se os próximos 2 volumes continuarem no mesmo ritmo, certamente teremos mais uma divertida alternativa de leitura para os marmanjos.